Jesus, Fonte de Sabedoria

O melhor louvor é aquele que é realizado o tempo todo, 24 horas por dia.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Não somos pecadores


Somos Justos

O homem natural é um pecador, mas ele é mais do que isso, em       2º a Coríntios 6.14 o homem pecador é chamado de iniquidade. Ele é por natureza um filho da ira, e está espiritualmente morto. Está unido a satanás como o crente está unido a Deus.

Efésios 2.3 “Entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também”.

Todos os pensamentos eram voltados para o pecado, o tempo todo envolvidos pelas vontades da carne, do prazer carnal, desejos impuros e imorais, tudo era influenciado pela velha natureza.
O pecado existiu em nós, fomos escravos do pecado, porque não conseguíamos ficar sem cometer o pecado, mesmo conhecendo alguns deles, mesmo sabendo que era errado.
Mas graças a Deus pela justificação, (II Co 5:21) que nos trouxe de volta a comunhão original de Deus com o homem. Permitindo assim sermos influenciados por uma mente renovada, cativa as vontades de Deus, o nosso Rei e Pai.

Ninguém entende o cristianismo, se não entende a palavra "justificado".
John R. W. Stott

Seja participante desta revelação:
Em 2º a Coríntios 3.7-18 “E se o ministério da morte, gravado com letras em pedras, veio em glória, de maneira que os filhos de Israel não podiam fitar os olhos na face de Moisés, por causa da glória em seu rosto, a qual era transitória,
8- Como será de maior glória o ministério do espírito?
9- Porque se o ministério da condenação foi glorioso, muito mais excederá em glória o ministério da justiça.
10- Porque também o Pai foi glorificado, por causa dessa excelente glória.
11- Porque, se o que era transitório foi para glória, muito mais é em glória o que permanece.
12- Tendo, pois, tal esperança, usamos de muita ousadia no falar.
13- E não somos como Moisés, que punha um véu sobre a sua face, para que os filhos de Israel não olhassem firmemente para o fim daquilo que era transitório.
14- mas os seus sentidos foram endurecidos: porque até hoje o mesmo véu está por levantar na lição do velho testamento, o qual foi por Cristo abolido;
15- E até hoje, quando é lido Moisés, o véu está posto sobre o coração deles.
16- Mas, quando se converterem ao Senhor, então o véu se tirará.
17- Ora o Senhor é Espírito; e onde esta o Espírito do Senhor aí há liberdade”.
18- mas todos nós, com cara descoberta, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor.

   Na justiça de Deus servimos a Ele em espírito, no Espírito Santo, a partir da revelação clara e nítida de Deus em Jesus Cristo.
Em outras palavras nos versos 8,9,10 e 11 podemos ler assim: “8- não devemos nós esperar uma glória muito maior nestes dias quanto o Espírito Santo está concedendo a vida? 9 Se o plano que leva à condenação era glorioso, muito mais glorioso ainda é o plano que justifica os homens perante Deus. 10 De fato, aquela primeira glória, tal como foi mostrada no rosto de Moisés, não vale absolutamente nada em comparação com a glória deslumbrante do novo contrato.11 Portanto, se o velho sistema, que se desvaneceu até acabar, era cheio de glória celestial, a glória do novo plano de Deus para a nossa salvação sem dúvida nenhuma é muito maior, pois é eterna”.
A justificação foi uma obra espiritual formidável, nos trouxe uma glória que não é transitória, ela não nos deixa para voltar de vez em quando. Essa glória recriou nosso espírito e hoje reflete a mudança em nosso ser. Todo cristal brilha quando lhe é lançado uma luz, assim é claramente a glória do Senhor operando em nós. À medida que o Espírito santo trabalha dentro de nós, nos tornamos mais e mais semelhantes a Ele.

Tiago 5:17 “[Elias] era homem sujeito às mesmas paixões que nós, e orou com fervor para que não chovesse, e por três anos e seis meses não choveu sobre a terra.”
Muitas pessoas acham que para serem justas precisam de mudar no corpo, ser um sujeito especial, não sentir algum tipo de tentação, um fenômeno na fé, com divindade em evidência. Mas não é assim que nos tornamos justas. Não é esforço nosso, é dom de Deus.

Salmos 32:1 “1 Bem-aventurado aquele cuja transgressão é perdoada, e cujo pecado é coberto.
2 Bem-aventurado o homem a quem o Senhor não atribui a iniquidade, e em cujo espírito não há dolo.”

Deus não nos atribui iniquidade, não nos vê como pecadores imundos que não tem solução. Ele nos vê como filhos queridos que veio dEle e retornarão para Ele um dia, para morarmos no mesmo lugar. Hoje Deus mora em nós, um dia vamos morar nEle.
Em II Cor. 5:21 (já citei muito este este verso esclarecedor muitas vezes) Deixa bem claro porque Deus não nos atribui iniquidades. “ Àquele que não conheceu iniquidade, Deus o fez iniquidade por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus.”
Toda atribuição de pecados foi para Cristo. Ele pagou e com isso nós nos tornamos limpos e justos. A injustiça que ocorreu com Cristo nos fez Justos.
Jesus não só nos pagou os pecados, Ele mudou nossa natureza. Só o perdão não nos qualificava para entrar no céu. Porque existia um ritual criado pelo próprio Deus que encobria os pecados das pessoas do velho testamento, na velha aliança. Mas Jesus nos transportou de um reino nos colocando em outro, nos matou para o mundo interrompendo a nossa descendência de Adão e nos reviveu em Cristo para Sua descendência. Descendência de justos, uma nova aliança.
De fato Deus é meu Pai, então minha natureza é reflexo do Pai, tenho que ter as mesmas atitudes, o mesmo amor, eu tenho que ser parecido com o Pai em tudo. Vou demonstrar essa natureza no falar, no meu comportar no dia a dia, no que as pessoas vão ver quando olhar para mim e notar que estou refletindo uma luz diferente.

Para o cristão, a honestidade não é a melhor política - é a única.
J. Blanchard

   Jesus me deu esta condição de ser justo, de andar na luz, quando Ele se fez pecado por mim e me livrou das trevas, do inferno e de toda a escuridão do mal.

Deus o fez pecado por nós; Não temos mais pecados, estamos na presença de Deus sem culpa, sem medo e sem condenação, somos justos, morremos para o mundo de pecado. Podemos viver como se nunca o pecado tivesse existido, como?
Nascendo de novo.

Colossenses 1.12 podemos ler: “Dando graças ao Pai que nos fez idôneos [dignos, capazes] para participar da herança dos santos na luz;”.

No momento em que nascemos de novo nos tornamos dignos de participar da herança dos santos. No exato instante nos tornamos o que fomos criados para sermos. A consequência do novo nascimento é o perdão dos pecados, nos tornando brilhantes, limpos, curados e justos.

Colossenses 1.27 vemos que Cristo está em nós: “Aos quais Deus quis fazer conhecer quais são as riquezas da glória deste mistério entre os gentios, que é Cristo em vós, esperança da glória;”.

Se Cristo está em nós, temos a plenitude de Deus.

Colossenses 2.9-11 “Porque nele habita corporalmente toda a divindade;
10- E estais perfeitos Nele, que é a cabeça de todo principado [príncipe] e potestade [autoridade];
11- No qual também estais circuncidados [aliança] com a circuncisão não feita por mãos no despojo do corpo da carne: a circuncisão[aliança] de Cristo”.

Estamos 24 horas na presença de Deus; somos redimidos, Deus nos transportou do reino das trevas e nos levou para o reino do filho do seu amor, para o reino da luz. Para sermos transportados de um reino para o outro, precisaríamos da  redenção. O preço foi pago. Jesus pagou.

Colossenses 2.13 “E, quando vós estáveis mortos nos pecados, e na incircuncisão[falta de aliança] da vossa carne, vos vivificou juntamente com Ele, perdoando-vos todas as ofensas,”.

Estávamos mortos, então Ele deu participação na própria vida de Cristo e os pecados foram perdoados.
Percebemos que Deus se preocupou de nos tornar parecido com Ele, para conseguirmos relacionar com nosso Pai.
No céu não tem pecado, Deus não pratica pecados. Seus filhos têm que ser igual ao Pai em tudo. Na Palavra está escrito que a oração de um justo pode em muito seus efeitos. Se você não é justo, está orando sem sentido.
Existe também uma condição básica para sermos justos:
2º Aos Coríntios 5.17 ficamos esclarecidos: “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo”.
Deus relaciona conosco depois do nosso novo nascimento.

A pessoa que diz que pode viver descuidadamente porque não está debaixo da lei, mas debaixo da graça, precisa verificar bem se não está debaixo da ira.
J. Blanchard

Cometeu pecado, confesse, deixe o pecado e siga em busca da estatura do Varão perfeito.
Pr. Vagner Vieira